Evite a utilização de vassoura hidráulica (mangueira).

Cuide para que não haja descarte de qualquer objeto pela janela de carros ou coletivos.

Se possível, faça caminhada, use bicicleta, transporte coletivo, exercite a carona solidária.

Use a luz natural, abra as janelas, cortinas e persianas, areja o ambiente e economiza energia.

Use ventilador de teto ao invés do aparelho de ar condicionado, mais saúde e economia.

Deixe as roupas no varal ao invés de secadoras elétricas(use somente para as emergências).

Substitua os produtos descartáveis pelos duráveis.

Use sacolas de pano, resistentes e retornáveis para fazer as compras.

Observe se há vazamentos em geral, nas válvulas de descarga, se existem torneiras pingando, etc e viabilize a manutenção.

Colete a água da chuva e a utilize de múltiplas maneiras, para regar as plantas é excelente porque não tem cloro.

Pilhas e baterias tem em sua composição substâncias muito tóxicas. É importante não haver descarte de nenhuma espécie e sim armazenar e entregar nos postos de coleta com esse fim específico.

Quando comprar eletrodomésticos observe o consumo de energia para o seu funcionamento.

Para economizar gás e manter a qualidade dos alimentos, mantenha a tampa na panela durante o cozimento, o tamanho da panela deve ser compatível com a quantidade de alimento, use água na medida necessária ao cozimento, assim que ferver use fogo baixo, a regulagem alta não acelera o cozimento, o feijão deve ficar de molho antecipadamente, pode ser cozido junto com beterraba, inhame.

A economia de água e luz ocorre de inúmeras maneiras, desligar a água enquanto está ensaboando a louça ou tomando banho, usar a água da máquina de lavar, não ligar lâmpadas e aparelhos desnecessariamente. Esses simples procedimentos farão diferença nas faturas de água e energia elétrica no final de todas as contas, contudo faça essa prática numa atitude de atenção e não de cobrança e exigência, fazer a nossa parte faz diferença, demonstre e sensibilize através de seu exemplo.

Prefira verduras, legumes e frutas da época e da região. Produtos da estação são mais saudáveis. Quando vem de longe o gasto com o transporte aumenta o preço.

Evite produtos industrializados, entre eles os enlatados, prefira alimento vivo e orgânico, aquele cultivado na terra e não vindo da prateleira do supermercado.

Atenção especial deve ser dada aos plásticos, reduza ao mínimo sua utilização. Devemos evitá-los para armazenagem de bebidas e alimentos, principalmente em temperaturas muito quentes ou congeladas. Determinadas substâncias presentes nos plásticos ficam nos alimentos ou bebidas nessas condições e são prejudiciais a saúde. Não use embalagem plástica no micro-ondas. Não sirva cafezinho em copo descartável. Não congelar água nas garrafas PET, principalmente as coloridas. Não embalar alimentos com filme ou papel alumínio. Armazene em vidro, embrulhe e congele, se necessário, em papel celofane.

Devemos retirar as mamadeiras da vida de nossas crianças, podem gerar defeitos na boca, dificuldades respiratórias e não esqueça que são de plástico!

Os produtos de limpeza que utilizamos com tanta boa vontade para cuidar da casa, do nosso local de trabalho, são químicos artificiais e precisam ser usados com moderação. O cheiro artificial não significa limpeza livre de problemas para a nossa saúde.

Dicas: Use alvejante sem cloro, a ”água sanitária” é muito nociva, hoje já temos branqueadores a base de ”água oxigenada”. Prefira o sabão de coco(de babaçú seria o ideal), ao invés de detergentes líquidos. Limpe tudo com álcool, se quiser um aroma especial, coloque plantas aromáticas e deixe curtir uns dias, após esse período estará pronta para utilização. É natural e harmoniza o ambiente. Existem também, produtos biodegradáveis, aqueles que a natureza consegue transformar. É possível comprar produtos de alta qualidade, não agridem tanto, com preço acessível.

Observação de muita importância: algumas vezes o empregador pode questionar sobre a quantidade de produtos de limpeza pensando na economia, contudo o mais importante é que além do ambiente ser contaminado, a pessoa que o aplica sofre danos em sua saúde também, literalmente podem ”matar de tanta limpeza”.

Vale a pena mencionar os cosméticos, já existem muitos artigos que questionam o ”preço da beleza”, assim como os plásticos e os produtos de limpeza, tem em sua formulação, componentes indesejados e não divulgados. Tintura, creme, loção, gel, uma infinidade de produtos tóxicos e até cancerígenos estão ao alcance de todos. O maior desafio é como ficar em paz com a nossa aparência e aceitar o que a natureza nos concedeu.

Não jogar medicamentos nos ralos e sanitários. Não há lei que regule onde devemos entregar os medicamentos que não usaremos mais, os vencidos também. O problema é que eles poderão voltar aos nossos lares através, por exemplo, da água que bebemos. Assim, ficamos doentes por ingerir medicamentos, sem necessidade. Uma solução é procurar tratamentos mais naturais. Os medicamentos químicos, deverão ser usados, somente e sempre, quando indispensáveis e forem indicados por um profissional. Na farmácia verificar se pode comprar somente a dose que for usar.

Evite consumir para não precisar reciclar, contudo se não puder evitar é melhor reciclar do que descartar…

Serviço: Confira mais dicas em www.rossanymouji.blogspot.com


* digite o que você vê na imagem acima.
  • Newsletter

  • Yoga para Olhos

  • Consciência Próspera

  • Recentes

  • Páginas

  • Categorias

  • Jornal Alternativo

    CONTATOS:
    (11) 3063-1115
    jornalternativo@jornalternativonline.com.br