“Graça, você não quer ler a mão, estou livre agora? Eu não, tenho medo disso. Ah, Graça, você não quer que eu leia a sua mão porque você está grávida? Tá louco, Jay, tou grávida nada. Está sim, e está na hora de cuidar disso.”

Esse foi o diálogo que eu ouvi, muitos anos atrás, na Livraria Primeira Edição, onde o Jay lia mão e a Graça vendia livros….

“Graça, você não quer ler a mão, estou livre agora? Eu não, tenho medo disso. Ah, Graça, você não quer que eu leia a sua mão porque você está grávida? Tá louco, Jay, tou grávida nada. Está sim, e está na hora de cuidar disso.”

Esse foi o diálogo que eu ouvi, muitos anos atrás, na Livraria Primeira Edição, onde o Jay lia mão e a Graça vendia livros. A Graça não era assim jovenzinha e não esperava mais ter filhos. Só que o Jay acertou e ela estava de fato grávida.

Tempos depois, outra leitura interessante: O Jay diz para uma cliente: Você vai realizar o grande sonho de sua vida. Qual sonho, pergunta ela. Você vai ter um filho. Ah, sai dessa, não vou, não. Bem que eu queria mas meu marido já tem filhos de outro casamento e não quer mais, de jeito nenhum. E o Jay responde: Eu disse que você vai ter um filho, não disse quem vai ser o pai. A moça ficou brava e acabou reclamando para mim. Só que mais uma vez o Jay tinha razão: a moça teve uma filha, não do marido da época  mas do seguinte.

E a terceira história: Ele tinha iniciado um atendimento com um senhor, e vem falar comigo bem assustado: Roberto, suspende as próximas leituras, porque o caso ali é grave. O homem veio ler a mão para decidir se se suicida hoje ou não. Vamos ver o que a gente consegue. E parece que conseguiu convencer o homem porque até hoje, como moro perto de onde era a Livraria, volta e meia encontro com aquele senhor, hoje bem idoso, já que essa história aconteceu há uns 15 anos.

Depois disso, o Jay foi trabalhar sozinho e fiquei muito tempo sem vê-lo. Reencontramo-nos, ele leu a mão de algumas pessoas aqui no Jornaltenativo e agora conta para nós um pouco da sua história:

“Aos 6, 7 anos de idade, comecei a fazer viagens astrais e pequenas previsões na família, o que até criava alguns probleminhas. Mas minha mãe lia cartas, minha avó era cigana (mas só a conheci quando ela já tinha 96 anos) e as coisas foram indo. Jovem, fiz vários cursos de Astrologia e comecei a atender. Gostava da Astrologia mas sentia falta de alguma coisa de mais contato físico. Aí caiu na minha mão um livro de Quiromancia e pronto, era aquilo que eu estava procurando. Li o livro num dia, mas eu já sabia daquilo tudo, estava só recordando. E logo comecei a ler mãos…

“Até porque pouco antes eu tinha tido um sonho e acho que foi uma espécie de iniciação, e o guia dizia você tem que ler mão e Tarô, procure um livro de Tarô urgente. E logo juntei o Tarô com a Quiromancia, e depois fiz vários cursos de terapias e a gente vai juntando tudo. E agora recente escrevi um livrinho, Os Sete Mitos da Felicidade (o livro é pequeno mas é muito interessante, daqui a pouco conto algumas coisas dele para vocês).

“As mãos contam nossa história, continua Jay, assim como o rosto e todo o nosso corpo. Claro que há uma técnica mas a intuição, vicência, qualquer coisa assim, é um pouco mais importante. Eu diria que a boa divisão é 40% de técnica e 60% de intuição.

Nas unhas, por exemplo, a gente pode ver a saúde das pessoas. E num simples aperto de mãos você define as características de personalidade da pessoa. Sabe aquela pessoa que aperta a tua mão que parece que vai quebrar nossos ossinhos? É um mandão que quer dominar todas as pessoas. Talvez não seja interessante fazer sociedade com uma pessoa assim. Te dá a mão com a maior languidez, a mão toda mole? Quase sempre indica uma pessoa muito insegura. Mão áspera, pessoa áspera. Mão lisa, que dá gosto segurar, transmite uma sensação muito boa, de energia positiva e paz? A pessoa é assim também. É bem simples, basta a gente observar.

Aí faço uma pergunta difícil ao Jay: Quando eu me separei da Andréa, ela me disse que você havia previsto isso numa leitura com ela. E por que você não disse nada sobre isso para mim? Ah, Roberto, faz tanto tempo, eu não lembro direito. Mas provavelmente foi porque essa informação não seria muito útil para você naquele momento, poderia atrapalhar mais do que ajudar. Por exemplo: informações de doenças assim mais graves, a gente tem que analisar se a pessoa está preparada para receber e isso vai ajudá-la, ou se ela vai se apavorar e ser muito prejudicada.”

Na quirologia é possível fazer uma análise do estado de saúde do consulente verificando a forma das linhas, cores das palmas das mãos,temperatura, secura umidade ou oleosidade entre outros indicativos relevantes.

Nas unhas são observados aspectos gerais da saúde através da coloração, formato, e se elas apresentam estrias, folheamento, se estão quebradiças,escuras,opacas ou muito brilhantes.

De modo geral, unhas fortes é indicio de boa saúde, principalmente se elas apresentam a “lúnula” (aquela meia lua na base da unha)nitidamente e em quase todos os dedos.

Apertando cada uma das unhas com a unha do polegar, observamos o grau de tolerancia a dor , sendo este um excelente indicativo do grau de toxinas acumuladas no organismo.

Os mitos da Felicidade

O livro surgiu de um atendimento que Jay deu a uma moça que estava tendo muitos sonhos onde sempre aparecia um anjo – Artur – que a orientava. E os mitos da Felicidade são, segundo o livro: tempo; sucesso; dificuldades; segurança; informações; perfeição e more. E claro que esses mitos apenas prejudicam o caminho para chegar à verdadeira Felicidade.Vejam alguns pequenos trechos de falas do anjo Artur:

“Não permite ao mito do tempo imprimir em seu corpo a marca de ‘prazo de validade’, como se você fosse um produto de supermercado.”

Sucesso em tempos mais sábios: “Trabalhando externamente os homens se trabalhavam internamente. O sucesso era força inseparável da vida, o realizador dos batimentos cardíacos, o mantenedor da órbita dos astros, a força sem esforço que fazia crianças e plantas crescerem!

“Numa cultura onde a vida é vista com olhos de cifrões, dificilmente haverá menos corrupção e mais justiça social.”

“Chegará o dia em que a morte será vista pelos homens apenas como uma ilusão do ego, já que é simplesmente uma ‘mudança de pele’, necessária à renovação do ser. E não é a última nem a mais importante.”

para fazer leitura com jay ligue para 971584484


* digite o que você vê na imagem acima.
  • Newsletter

  • Yoga para Olhos

  • Consciência Próspera

  • Recentes

  • Páginas

  • Categorias

  • Jornal Alternativo

    CONTATOS:
    (11) 3063-1115
    jornalternativo@jornalternativonline.com.br