Francisco e Clara no dia-a-dia de hoje.

“Sabe aquelas 4 ou 5 horas que as pessoas passam em frente à televisão, vendo aquelas bobagens e aquelas desgraceiras sanguinolentas de goleiro Bruno, não sei o quê Nardoni, e se enchendo de energias negativas?

Eu aproveito essas horas para tocar violão, compor umas musiquinhas, ler um livro, olhar a lua e as estrelas e por aí afora. Fora isso, acordo às 6 da manhã, tomo um banho frio, não importa se é verão ou inverno, faço Yoga, medito muito e vou tocando a minha vida e a da Ecovila Clareando.”

Estou ouvindo o Hiroshi, Edson Hiroshi Seó, uma das mais fantásticas figuras que eu tive o prazer de conhecer nesta vida (desconfio que também o encontrei em outras vidas). E ele surgiu por aqui meio por coincidência. Liguei para a casa da Sandra para falar com a Sônia, para ela resolver um probleminha que eu tinha aqui. Atende o Hiroshi para minha surpresa, porque raramente ele está por aqui, ficando muito mais na Ecovila, em Piracaia. E melhor ainda, no meio da tarde ele apareceu aqui no escritório. Mal conversamos e ele já achou um violão atrás da porta, que eu nem sabia que estava lá, tirou a capa e começou a tocar e cantar, e nas paradinhas fomos conversando. As músicas são novas mas os temas são os de sempre: Deus, São Francisco, Santa Clara, Yogananda e tudo que é Sagrado, Divino e Maravilhoso.

E é com essas músicas que o Hiroshi mantém totalmente atentas 100 crianças e jovens, de idade entre 5 e 17 anos, no acampamento Franciscando. E vocês sabem o que crianças e jovens fazem no acampamento? Meditam, brincam de verdade, comem comida vegetariana e cantam essas músicas que falam sempre do espiritual, do Divino. E isso ninguém me contou, eu vi mesmo. Um dia eu estava com o Hiroshi no acampamento e nós começamos a jogar xadrez. O jogo pegou no breu, chegou a hora da Meditação e eu avisei o Hiroshi. Ele estava muito ligado no jogo e disse ‘Ah, acho que eles hoje não querem meditar.’ Não deu 5 minutos e um garoto de uns 10 anos encostou na gente e disse: “Oi, tio, está na hora da Meditação, tá todo mundo na sala, já. O senhor não vai esquecer da gente, né?’ Meio sem graça, levantamos eu e o Hiroshi e lá fomos meditar. Foi nesse momento que eu percebi definitivamente o carisma do Hiroshi com as crianças (e com os adultos também) e a força que a Meditação tem para com todas as pessoas!

Agora o Hiroshi começa a contar algumas histórias do Franciscando: “Começamos há uns 25 anos, logo depois que nasceu meu primeiro filho. Porque eu senti que tinha facilidade de me comunicar com as crianças, principalmente através da música e da Meditação.”

Parêntesis: Hiroshi tem 6 filhos, hoje todos jovens e adultos, que seguiram o método Hiroshi de educação: banho frio, Yoga, Meditação, comida vegetariana e se possível orgânica. E mais: para os filhos Hiroshi utilizou a Urinoterapia, que ele praticamente introduziu no Brasil (claro que no acampamento a Urinoterapia não é utilizada). E, pasmem, os 6 filhos só foram a médicos por probleminhas de ferimentos ou fraturas, jamais por uma doença, e nenhum deles tomou qualquer remédio até hoje. “Os amigos diziam que eu era maluco e implicavam muito com a alimentação vegetariana orgânica, dizendo que era muito cara. No final, o caro ficou bem barato, não? Com o que economizei de médicos e remédios!

Ecovila Clareando

Depois de várias experiências de viver em comunidades décadas atrás (‘e que não deram certo porque o pessoal era muito bicho-grilo, e muito chegado às drogas’), Hiroshi está desenvolvendo com muito sucesso a Ecovila Clareando, em Piracaia. E ele nos explica o que é e como funciona uma ecovila.

“Ecovila é uma comunidade de 50 a 2.000 pessoas, unidas por um propósito comum. Este propósito varia de local para local, mas usualmente é baseado numa visão ecológica, social e espiritual. E a busca da sustentabilidade é a sua base.

Assim, as prioridades são a produção local de alimentos orgânicos / biodinâmicos, utilização de sistemas de energias renováveis, com cataventos, biodigestores etc. Construção ecológica, tijolos de solocimento, bambu etc. Criação de esquemas de apoio social e familiar, incluindo diversidade cultural e celebrações, danças circulares etc. Experiência com novos processos de tomada de decisão, utilizando técnicas de democracia profunda e facilitação de conflitos. Economia auto-sustentável, baseada nos conceitos de localização e simplicidade voluntária. Saúde integrada. Educação holística baseada na percepção sistêmica.” (Vou parar por aqui se não vou sair correndo para morar lá. Que beleza! E vai, e está, dando certo!)

“O movimento emergiu como uma resposta consciente ao problema, extremamente complexo, de como mover o planeta em direção a uma sociedade de comunidades sustentáveis. Ou seja, tentar evitar o fim desse nosso lindo planetinha.”

Construindo sem destruir!

E leia mais alguns dados que estão no site www.clareando.com.br: Você sabia que São Paulo consome 6,1 milhões de metros cúbicos de madeira ilegal? Sendo que 42% vira estrutura de telhado, 28% vira forma para concreto,15% móveis,11% forros, pisos e esquadrias, 3% casas pré-fabricadas.

Aqui na Ecovila, são oferecidas técnicas construtivas que não utilizam madeiras ilegais. Através de convênio de intercâmbio tecnológico com a USP, UNICAMP, UNESP e empresas privadas, temos à disposição técnicas já consagradas de construção, tais como:

• Solocimento com mini-colunas embutidas
• Telhado em arco romano de tijolo modular de solocimento
• Telhado em arco romano, armado com treliçado de bambu e revestido de ferrocimento laminar
• Casas pré-fabricadas com madeira de reflorestamento
• E outras opções já consagradas que os parceiros nos sugerem.

Serviço: Para saber mais do acampamento Franciscando veja o site www.franciscando.com.br E para conhecer melhor a Ecovila, veja o site www.clareando.com.br


* digite o que você vê na imagem acima.
  • Newsletter

  • Yoga para Olhos

  • Consciência Próspera

  • Recentes

  • Páginas

  • Categorias

  • Jornal Alternativo

    CONTATOS:
    (11) 3063-1115
    jornalternativo@jornalternativonline.com.br