Por Georg Feuerstein

Enquanto um estilo de vida integrado, o Yoga inclui padrões morais (tradicionalmente chamados ‘virtudes’) que qualquer ser humano razoável acharia, em princípio, aceitável. Alguns destes padrões, conhecidos em sânscrito como yamas ou ‘disciplinas’, estão codificados no primeiro dos oito ‘membros’ do caminho de Patanjali. De acordo com o Yoga-Sûtra de Patanjali, esta categoria é composta de cinco virtudes: não violência (ahimsâ), veracidade (satya), não roubo (asteya), castidade (brahmacharya) e desapego (aparigraha).

Em outras escrituras importantes do Yoga,  mais princípios morais são mencionados, como gentileza, compaixão, generosidade, paciência, auxílio, perdão, pureza, e assim por diante. São virtudes que nos conectam com um ‘bom’ caráter e que se manifestam, no mais alto grau, na vida dos grandes mestres de Yoga.

Assim, parece apropriado que os professores de Yoga de hoje se esforcem para conduzir suas vidas de acordo com os princípios morais do Yoga, especialmente porque o professor de Yoga possui uma grande responsabilidade para com os seus alunos, devendo ser esperado que espelhem os altos padrões morais defendidos pelo Yoga. Ao mesmo tempo, devemos reconhecer a complexidade da sociedade contemporânea, sendo necessário adaptar, da maneira apropriada, os padrões morais destinados originalmente para as condições da Índia pré-moderna. Além disso, precisamos levar em conta a crise ambiental que se aproxima, adotando uma estilo de vida sustentável.

As diretrizes a seguir são propostas como uma razoável adaptação para a situação moderna, mas que reconhecem, apropriadamente, a sabedoria contida na herança do Yoga.

1. Professores de Yoga entendem e valorizam o fato que ensinar Yoga é um esforço nobre e dignificante que os conecta a uma longa linhagem de professores ilustres.

2. Professores de Yoga se comprometem em praticar o Yoga como um estilo de vida, adotando os princípios morais fundamentais do Yoga e tornando seus estilos de vida ambientalmente sustentáveis (‘Yoga Verde’).

3. Professores de Yoga se comprometem em manter padrões impecáveis de competência profissional e integridade.

4. Professores de Yoga dedicam-se ao estudo e prática, completa e contínua, do Yoga, em particular os aspectos  teóricos e práticos do ramo de Yoga que estão ensinando.

5. Professores de Yoga se comprometem em evitar o vício em substâncias químicas e, se por  alguma razão, sucumbirem a dependência química, concordam em parar de ensinar até que estejam livres do vício de drogas e/ou álcool. Farão, então, tudo a seu alcance para permanecerem livres, incluindo serem totalmente comprometidos com um grupo de apoio.

6. Professores de Yoga adotam o ideal de veracidade, principalmente quando lidando com estudantes e outras pessoas, o que inclui atuar de maneira consistente com o seu treinamento e experiência, relevante para as aulas de Yoga que ministra.

7. Professores de Yoga se comprometem em promover o bem estar físico, emocional, mental e espiritual de seus estudantes.

8. Professores de Yoga, especialmente os que ensinam Hatha-Yoga, se absterão de dar conselhos médicos ou conselhos que possam ser interpretados desta forma, a menos que possuam a qualificação médica necessária.

9. Professores de Yoga estão abertos para ensinarem a qualquer estudante, sem levar em consideração raça, nacionalidade, gênero, orientação sexual e situação social ou financeira.

10. Professores de Yoga aceitam estudantes com deficiência física, com a condição de possuírem a habilidade de ensiná-los apropriadamente.

11. Professores de Yoga concordam em tratar seus estudantes com respeito.

12. Professores de Yoga nunca imporão suas próprias opiniões para os estudantes e valorizarão o fato de que cada indivíduo tem direito a sua visão de mundo, idéias e crenças. Ao mesmo tempo, professores de Yoga devem comunicar a seus estudantes que o Yoga procura gerar uma transformação profunda na personalidade, nas atitudes e nas idéias humanas. Se um estudante não está aberto a mudanças ou se as opiniões do estudante impedem a comunicação dos ensinamentos do Yoga, então o professor é livre para desobrigar-se a ensinar aquele indivíduo e, se possível, deve encontrar um caminho amigável para desfazer o relacionamento aluno-professor.

13. Professores de Yoga concordam em evitar qualquer forma de assédio sexual aos alunos.

14. Professores de Yoga, desejosos em começarem um relacionamento sexual em consenso mútuo com um aluno ou ex-aluno, antes de qualquer atitude, devem procurar o conselho imediato de seus colegas professores, para assegurar a suficiente clareza sobre suas intenções.

15. Professores de Yoga farão todo o possível para não tirar proveito da confiança e a da potencial dependência de seus alunos. Ao contrário, se esforçarão em encorajar seus alunos a encontrarem grande liberdade interior.

16. Professores de Yoga reconhecem a importância do contexto apropriado para ensinar e concordam em evitar ensinar de uma maneira negligente, incluindo a observação do decoro apropriado dentro e fora da sala de aula.

17. Professores de Yoga esforçam-se para praticar a tolerância para com outros professores, escolas e tradições do Yoga. Se houver a necessidade de fazer alguma crítica, ela deve ser feita com clareza e baseada em fatos.

Estes preceitos éticos não estão completos e o fato de uma determinada atitude não estar especificada, não indica algo sobre a natureza ética ou não ética da atitude. Professores de Yoga sempre se esforçam em respeitar e, visando o melhor para suas habilidades, adotam o código de conduta yogue tradicional, assim como as leis existentes em seus países ou estados.

Para uma descrição mais detalhada dos ensinamentos sobre os instruções morais do Yoga, veja Yoga Morality (2007), de Georg Feuerstein.
Traduzido pelo yogi Rogério Maniezi, de www.traditionalyogastudies.com, o nome original do artigo é Ethical Guidelines for Yoga Teachers.


* digite o que você vê na imagem acima.
  • Newsletter

  • Yoga para Olhos

  • Consciência Próspera

  • Recentes

  • Páginas

  • Categorias

  • Jornal Alternativo

    CONTATOS:
    (11) 3063-1115
    jornalternativo@jornalternativonline.com.br