Anos atrás fui enganado por uma advogada, que não pagou uma dívida que eu tinha, embora eu tenha dado o dinheiro a ela. Ano e meio depois bate a polícia à minha porta com ordem de prisão contra mim. Ligo para a advogada e ela diz :

Ah, precisei do dinheiro e usei. E agora não tenho como devolver… lgs lgs lgs (minhas, não dela, que pela voz não estava nem aí).

Fui para o escritório do chefe dela, que disse que o que tinha conseguido era uma semana para eu pagar a dívida, e depois ela veria o que conseguiria com a advogada que trabalhava com ele.

Saí de lá sem saber o que fazer, totalmente avoado. Peguei um táxi, por falta de condições de andar, e fui para casa sem abrir a boca. Quando o taxista parou em frente ao prédio onde eu morava, ele disse: “Moço, não sei qual é o seu problema, mas fique tranquilo que o senhor vai resolvê-lo. Se for problema de dinheiro, não precisa pagar a corrida.”

Aí eu chorei de verdade. Mas paguei o taxista porque o dinheiro não faria nenhuma diferença frente à dívida. Que foi paga por mim, depois recebi apenas a metade do valor do escritório daquela advogada e ainda assim não fiquei com raiva dela… Pensei comigo deixa pra lá, ficar com raiva não vai resolver nada (e na época eu nem tinha ouvido falar dos benefícios do perdão). E fiquei absolutamente grato ao taxista pela força que ele me deu Foi de fato um grande pequeno gesto de bondade!!!


* digite o que você vê na imagem acima.
  • Newsletter

  • Yoga para Olhos

  • Consciência Próspera

  • Recentes

  • Páginas

  • Categorias

  • Jornal Alternativo

    CONTATOS:
    (11) 3063-1115
    jornalternativo@jornalternativonline.com.br